Semana On

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Obama para inglês ver

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prorrogou hoje por um ano as medidas de embargo comercial imposto a Cuba, previstas na Lei contra o Comércio com o Inimigo. 0O embargo vem sendo prorrogado anualmente desde que entrou em vigor, em 1963.

Neste caso, no entanto, adquire caráter simbólico, já que representa a primeira renovação durante o mandato de Obama, que em seus primeiros meses no poder eliminou as restrições de viagens e envio de remessas dos americanos a seus familiares na ilha. Com esta determinação, Obama mantém a política de seus antecessores sobre o embargo à ilha.

A lei, que proíbe que empresas americanas possam manter relações comerciais com países hostis, data originalmente de 1917, mas entrou em vigor somente em 1963, depois da Revolução Cubana e da chegada de Fidel Castro ao poder. Desde então, o embargo foi reforçado e ampliado através de outras leis, como a Helms-Burton, de 1996.

Trata-se da reafirmação da hipocrisia estadunidense que, "em nome dos direitos humanos", isola Cuba do mundo mas mantém as portas abertas para regimes tão ou mais totalitários quanto o de Castro, como a China ou a Arábia Saudita. Mais uma mostra de que a "mudança" proposta por Obama foi apenas para inglês ver. Ainda assim, é de se compreender. Um presidente que tem que enfrentar manifestações públicas contra a criação de um sistema público de saúde, não tem mesmo muito espaço para manobras humanistas.

Leia mais sobre este tema:
- Hotel em ruínas mostra fosso entre discursos de Obama e Israel
- Obama e o biocombustível II
- Maquiavel, Obama e os assentamentos que não encolhem
- Obama joga para a torcida
- Obama fala sério ou endurecimento com Israel é para "palestino ver"?
- Obama e o etanol
- Obama e o biocombustível

2 comentários:

Fatima disse...

E a hipocrisia de quem apoia os EUA?
Abrs.

Adriana Godoy disse...

Não tinha dúvidas a esse respeito...