Semana On

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Baladas Nemurianas

Sou um apaixonado pela literatura de fantasia, ficção científica e horror. Autores com JRR Tolkien, Michael Morcoock, CS Lewis, Isaac Assimov, HP Lovecraft, Edgard Alan Poe, Robert E. Howard, Stephen King, Anne Rice, Peter Straub, Clive Barker (entre outros) me encantam há algumas décadas. Volta e meia retorno ao gênero e é sempre um prazer navegar pela imaginação destes autores maravilhosos.

A paixão por estes instigantes “subgêneros” literários me levou, ano passado, a iniciar um conto que logo se transformou em algo maior. Hoje, penso que estou escrevendo um romance de fantasia medieval. Chama-se “Baladas Nemurianas”.

Resolvi publicá-lo na internet conforme escrevo os capítulos. Há três deles finalizados e disponíveis no site do projeto, além de um apêndice dedicado às raças que habitam este meu mundo imaginário e um segundo, contendo um dicionário de termos.

Bom, é isso. Se você curte o gênero, faça uma visita e me dê um feedback sobre a ambientação, a história, os personagens. Estou finalizando o quarto capítulo que, em breve, será publicado.

11 comentários:

james p. disse...

Oi,Barone.Gostei muito das partes que li agora .Vou fazer o download.parabéns por compartilhar esse dom com todos.Grande abraço.

Daniel "Gargula" Braga disse...

Acabei de ler o primeiro capítulo e gostei bastante da atmosfera. Assim que ler os outros, posto por aqui minhas impressões!

Barone disse...

James e Daniel. Qualquer crítica e sugestão para melhorar o material serão bem vindas.

BAR DO BARDO disse...

Cara, vou pensar...

Estou tão preguiçoso para a prosa...

Mas desejo boa sorte na empreitada!!!

Adriana Godoy disse...

Barone, adoro o gênero, porém ando sem tempo. Um trabalho, uma tese de doutorado para revisar.Enorme e chata. Assim que puder, leio e comento. beijos.

Fatima disse...

Oi Victor!
Olha literatura de fantasia eu até gosto,mas ficção científica e horror não é muito a minha praia não, mas como gosto do que vc escreve vou lá ler e depois de dou minha opinião.
Sobre sua pergunta lá no blog, encontrei minhas companheiras no site http://www.reinodosgifs.net/.
Bjs.

Barone disse...

Bardo e Adriana, tranquilo pessoal.
Fatima, ok, se tiver paciência leia e me de um feedback. Adorei aquelas imagens.

Rafael Belo disse...

Me envolvi Barone. Seu texto é com odescobrir novas civilizações, aliás, sou fã dos mesmos autores citados por ti. Está bem contada, agora entro no segundo capítulo. Me lembrou - a atmosfera apenas,pois os seu texto é totalmente original - do filme "10.000 AC", assistiu? Eu ando envolta - a um parado no momento - que envolve sonhos. abraços Barone, boa sorte no livro.
ps: volto para fazer um coments completo

Barone disse...

Olá Rafael, Assisti sim. Na verdade o mundo é bem original mas há muitas referências, principalmente a Lovecraft, Tolkien, Morcoock e Howard. Cara, fico felz que você esteja gostando. Qualquer ceítica, dica ou sugestão é bem vinda.

Rafael Belo disse...

Sua intercalação dos eventos em comum entre os personagens vai bem.O deenvolvimento bm construído, se mantê-lo será uma boa leitura. Só me incomodou eta frase "os velhos e homens mortos como lobos", apena por diferir velhos de homens. Senti algumas palavras delocadas como a palavra "comichão" porque o clima lembra algo mais antigo e místico, mesmo sua intenção seja a integração leitor/leitura. Aqui deve ser digitação "Um vento FIRMA inundou... ". Certa part lá pelos fins m lmbrei de Gulliver. Têm estilo e identidade própria principalmente na fluência, da terceira, e por enquanto última, parte, mesmo tendo aquela história de destinoss cruzados, interligados e com finalidade inexplicável estando presente - comum em mitologias -, tenho vontade de ler mais mesmo porque a criança tomo outros ares então. Penso que o diálogo ouvido dos monstros deveria ser diferente mais alegórico. com peculiar maestria mistura vários mitos e lendas. Nos quase fim m lembrei d "Os 12 MAcacos" "O Retorno do Rei", mas uma vez só reles lembranças. Remetem até a "histórias biblícas" vindas de outros lentas aparentando a história de Jesus espanlhando "o "espirito santo" com onão ter tais referências dormentes em nós? "Mas Arthan de fechara em si mesmo..." falo da digitação, pois, me incomoda quando ela me afeta. Mais no fim ainda me veio, pela sua geografia paisagistica, a "Hitória sem fim". Me margio pelos filmes, simplemente pela imagens definidas e não próprias de cada que um livro trás. Aguardo o próximo capítulo. abraços meu caro

Barone disse...

"os velhos e homens mortos como lobos" - tem razão, vou mudar.

Rafael, as referências são muitas mesmo. Inevitável. Vou tentando driblá-las um pouco mas elas surgem em certos trechos. Mas tudo bem, pois na verdade este trabalho será como uma grande homenagem a estes caras - dentro de minhas humildes capacidades. Tendo mais dicas e sugestões fique a vontade.