Semana On

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Com o canudo na mão

Bom, os que acompanham o blog conhecem a minha história profissional, sabem que eu resolvi retomar os estudos 21 anos depois de ter sido iniciado nesta bela profissão, o Jornalismo, e 19 depois de ter abandonado a faculdade no último ano do curso.

A turma que costuma acessar o Escrevinhamentos conhece, também, minha posição sobre a exigência do diploma para o exercício da profissão no Brasil. Ela continua a mesma. Continuo considerando a exigência (que permanece “derrubada”, embora haja quem queira ressuscitar o defunto) um anacronismo, uma excrescência corporativista que em nada garante a qualidade do jornalismo cometido neste país.

Dito isso, aviso que estou oficialmente diplomado. Ontem retirei meu canudo na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), finalizando uma cantilena pessoal que se arrastava por duas décadas. Portanto, agora, falo com "conhecimnento de causa".

Agradeço aos colegas pelo carinho com que me receberam na sala de aula, aos professores e funcionários da universidade. Apesar de minha posição sobre o tema, sempre fui respeitado por todos eles, assim como demonstrei a eles o meu respeito.

Para continuar na trilha, indico abaixo alguns artigos sobre o tema (de minha autoria e da autoria de outros), publicados aqui durante este ano.

- Gay Talese: "Um diploma não torna você um jornalista"
- Diploma e Jornalismo: visões inglesas e argentinas
- Ainda, o diploma
- Diploma: algumas leituras sobre o tema
- Caiu a exigência do diploma: viva o Jornalismo
- Na semana em que pedi a colação de grau o STF pode derrubar o diploma
- Ainda o diploma para jornalistas
- Sobre o diploma para jornalistas
- Diploma: lucidez em meio ao obscurantismo
- A desqualificação como argumento
- Mantido ou não o diploma, algo muda no nosso Jornalismo?
- Com ou sem diploma?
- Priscila, Greenpeace e o canudo

7 comentários:

Daniel "Gargula" Braga disse...

Parabéns pela conquista! Por mais que suas posições sejam contrárias, é um prêmio seu e deve sim ser festejado!

Thaís Bett disse...

Parabéns Barone!
Foi um prazer te-lo como companheiro nessa conquista.
Além do respeito, o que sinto por você é admiração!
Que tal uma nova rodada de absolut tangerina na sua casa?? hehehe

B-joss

BAR DO BARDO disse...

Parabéns, você é o nosso Bar One!

Barone disse...

Daniel, Thais, meu Bardo. Obrigado.

Adriana Godoy disse...

Um canudo sempre é um canudo!! Parabéns, Barone, é uma conquista e há que comemorá-la. Beijo.

L. Rafael Nolli disse...

Meu camarada, meus parabéns pela conquista! Acompanho os seus textos sobre esse tema e outra centena de assuntos, e vejo aqui um grande exemplo de jornalismo de qualidade - fato que mostra que o diploma realmente é um caso anacrônico que serve quase sempre para lotar as salas de aula de milhares de universidades por aí: um mar repleto de tubarões do ensino furiosos e famintos! Sei que em nada o diploma alterará na qualidade de seus textos, que continuarão sensíveis, argutos e precisos - com ou sem diploma esse aqui é um espaço seguro para quem busca a notícia sem as amarras midiáticas corporativistas. Parabéns pelo belo trabalho e pela conquista! Abraços.

Barone disse...

Adriana e Rafael, obrigado.