Semana On

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Poesia

Quando a tarde desabar
olharei seu olhos
sendo apenas vontade

Buscarei o poema
como quem suspira

Esquecerei de mim

Fecharei minha boca
concentrado
na imensa noite que vai

Então minhas mãos
livres de ti
entregarão palavras ao ar

8 comentários:

Felipe Marques disse...

o voo letrado!

boa, master of poems.

abraço, té.

Rafael Belo disse...

tudo é a lírica poética... mui belo rs belos versos caro Barone! abraços

Cria disse...

És mestre das palavras ... Parabéns !

Adriana Godoy disse...

Barone, gostei de ler esse poema...gosto de vir aqui. beijo

Dan Jung disse...

que suas mãos livres continuem a entregar palavras ao ar para suspirarmos
só um pouquinho da sua liberdade. Poeta, você me surpreende! Sempre...

L. Rafael Nolli disse...

Barone, sempre uma boa caminhada aqui! Começo destacando esse belo poema: imagens belas: a tarde desabando; o suspiro poético, as palavras distribuídas! E, por fim, que tarefa colossal essa série do Stephen King!
Abraços!

Barone disse...

Valeu pessoal.

Jonathan disse...

Muito bom!!!
É um poema que tem vida!!!

Abraços!!!