Semana On

sábado, 24 de abril de 2010

Poesia aos sábados

Meu rosto era tão limpo
Tão claro
Tão lavadinho...
E foi empoeirando-se aos poucos...
Cobriu-se de nódoas e fungos
virou essa mancha escassa
que foge do meu espelho.
Minha alma era tão limpa,
Tão clara
Tão lavadinha...
E foi desfazendo-se aos poucos...
Desmanchou-se em brumas e fumaças
Virou essa nuvem suspensa
Desalentada, enfraquecida.
Meu sonho era tão limpo,
Tão claro
Tão lavadinho...
E foi sumindo-se aos poucos...
Transfigurou-se, leve e mofino,
Virou bafio de coisa velha,
Indefinidamente à espera.

Daisy Melo, esta semana, no Poema Dia.

2 comentários:

Daisy Melo disse...

Aí, Barone!
Muito Obrigada!
me deixou muito orgulhosa com a homenagem.
beijos!

Barone disse...

;)