Semana On

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Frases - XXXII

“O que vinha sendo planejado há meses, como estratégia eleitoral do primeiro-ministro Ehud Olmert, virou, com respaldo da mídia ocidental e seus ‘especialistas em Oriente Médio’, uma compreensível reação aos foguetes lançados por militantes do Hamas contra território israelense. Trata-se de pura falácia, propaganda ideológica barata que trata uma ação de extermínio como se fosse o confronto de forças simétricas.”
Gilson Caroni Filho

5 comentários:

Adriana disse...

Muito sábias as palavras. O seu artigo abaixo está brilhante e merecia ser mais divulgado. Quem dera tivéssemos mais jornalistas como você. É triste, mas parabéns por sua pesquisa. Beijo.

DaniloCB disse...

Saudações velhote...

Devo confessar que a atenção que vc vem dedicando aos acontecimentos em Gaza é de tirar o chapéu. Porém, como o foco de seus escrevinhamentos estão sempre direcionados ao lado palestino, eu não venho acompanho muito o lado israelense da coisa toda.

Não me entenda mal, mas seria interessante saber como a população palestina (e não estudiosos e políticos) vem encarando as atrocidades cometidas pelo seus líderes aos seus vizinhos e ainda, como eles encaram as destruições de suas casas pelas armas artesanais do Hamas, que são insignificantes perto da desgraça palestina, porém não menos importante.

Gostaria de ver vc comentando sobre isso pq faço questão de acentuar a credibilidade e confiança depositadas por mim à suas notícias!

Abraços,

DaniloCB

ps.: As poesias palestinas postadas outro dia foram sensacionais, mas o que escrevem os poetas israelenses sobre o massacre de Gaza?

Barone disse...

Olá Adriana, muito obrigado.

Olá Danilo, você tem razão em querer ter acesso aos dois lados da moeda. Aliás, a premissa básica do jornalismo no que se refere à boa informação é ouvir os dois lados da questão. Ocorre que o lado israelense já é muito difundido pela mídia convencional. Lendo os jornalões e assistindo as tevês pode-se ter uma noção de como pensam o exército e o governo de Israel.

A visão dos palestinos, no entanto, é pouco explorada e muito esteriotipada. A grande atuação dos blogues nesta lacuna surgiu por isso. Ao ver que a mídia continuava tratando o tema sob o ponto de vista do ocidente e de Israel, gente antenada com a questão resolveu colocar a boca no trombone através da rede. É o que estou fazendo aqui.

Quanto à população israelense, concordo. Seria interessante fazer um levantamento mais aprofundado sobre o que ela pensa. Algumas idéias podem ser tiradas de reportagens segundo as quais a maioria da população de Israel apóia a ofensiva sobre Gaza. Da mesma forma, os israelenses também sofrem com os foguetes lançados pelo Hamas sobre a região sul do País (sobre estes dois assuntos veja esta matéria e esta).

Ocorre que não há níveis de comparação entre o poder de destruição e de abalo psíquico entre os foguetes do Hamas e a máquina de guerra israelense. Para você ter uma idéia, desde que começou a ofensiva militar israelense já morreram em Gaza quase 800 palestinos (a maioria civis e crianças) quase 4000 ficaram feridos, enquanto os foguetes das milícias palestinas, a maioria de fabricação caseira e elaborados com encanamentos, mataram nos últimos oito anos 16 israelenses. E estes ataques não são casuais, fazem parte de um conflito que se prolonga por décadas.

O Hamas é um grupo fundamentalista islâmico e adepto ao terrorismo. Deve ser combatido. Nem todos os palestinos, no entanto, apóiam o Hamas. O Estado de Israel adota uma política genocida contra os palestinos. Deve ser combatido por isso. Nem todos os israelenses concordam com esta política imperialista. O que os palestinos querem é receber de volta as terras roubadas por Israel nos últimos 60 anos, querem ter o direito de viver, assim como os israelenses.

Para entender a questão palestina, sugiro que leia este estudo, e para saber o que querem, de fato, os palestinos, leia este artigo. Em breve postarei aqui um link com a história do Hamas.

Um abraço.

mariagomes disse...

Tenho vindo, em silêncio, a acompanhá-lo. É precioso o seu blogue, toda a informação que põe e dispõe. Obrigada.


maria

Barone disse...

Maria, também tenho visitado seu blog, recheado de belos poemas. Volte sempre.