Semana On

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Desculpas

Aqui, sentado na realidade
Paro com assombro
Com mar salgado nos olhos
E me lembro de mim

Atolado em palavras
Te olho enviesado
A tecer crianças vazias
E peço desculpas todos os dias
Por ainda sorrir

Aqui, sentado na realidade
Tento um suspiro
Com as mãos crispadas
Me despeço de ti

Suspenso em amarras
Te vejo calado
A aceitar promessas frias
E peço desculpas todos os dias
Por me eximir

2 comentários:

Adriana disse...

Bonito esse troço aqui. Muito bonito! Um jogo entre você e você mesmo? Uma nostalgia no ar.

Barone disse...

Exato.