Semana On

sexta-feira, 4 de agosto de 2006

Bom jornalismo

O jornalista Graciliano Rocha tem se destacado no árido deserto intelectual que é o jornalismo sul-mato-grossense (que me perdoem os cactus travestidos de escrevinhadores).

Sua série de reportagens focando o veloz enriquecimento de políticos do Estado, publicadas no site de notícias Campo Grande News é um alento aos olhos de leitores exigentes.

Seguem alguns links destas reportagens que recomendo aos que querem entender um pouquinho sobre os motivos que levam um simples mortal a tentar uma candidatuta ao Legislativo e ao Executivo.

O próspero mandato dos deputados federais de MS
O clube dos milionários da Assembléia Legislativa
O milagre da multiplicação da fortuna dos candidatos

3 comentários:

graciliano disse...

Victor, querido,

Não entendi se o dígito final de sua conta é 3 ou 6. Esclareça a dúvida ou eu não conseguirei fazer o depósito...rs

Obrigado pelas palavras.

Sergio Maidana disse...

Barone, gostei da matéria do Graciliano, mas falta um pouco de tempero (um pouco de ousadia). Veja bem, dias atrás postei no meu Blog que existiam certos candidatos que tem milhares de reais "em mãos" e compram carros popular financiado. Pergunte isso ao deputado e espere a resposta. De duas uma: ou é burro mesmo, ou então é mentirosa a afirmação que tem o dinheiro em mãos.
Fui....

Barone disse...

Olá Maidana,

na verdade há muito, mas muito mesmo a ser dito sobre um tanto de coisas que acabam passando em branco na mídia.

A maioria destes assuntos é simplesmente vetada pelos donos dos veículos de comunicação.

O fato de o CG News, através das reportagens do Graciliano, estar rompendo (mesmo que seja algo pontual e não estratégico) este véu de meias verdades que vemos e ouvimos diariamente na mídia sul-mato-grossense é, para mim, relevante.

A liberdade que temos em um blog é infinitamente maior do que a que temos nos veículos de comunicação, onde ganhamos nosso pão de cada dia. Nos blogs, existe apenas a auto-censura que, ao contrário da censura patronal, é opcional e superável.

Exatamente por isso, tenho defendido, inclusive em conversas com professores de jornalismo, que se propague entre os acadêmicos o gosto pelo cooperativismo, pelo empreendedorismo.

O futuro da informação, pelo menos da informação livre de pressões econômicas, está, ao meu ver, na imprensa livre, nos blogs, onde podemos realmente publicar o que deve ser publicado, salvo raras exceções, como foi o caso das reportagens do Graciliano.