Semana On

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Bucci e os defensores do diploma

Coleguinhas que lecionam na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) surtaram grande na noite de ontem, durante a Aula Inaugural do curso de Jornalismo da instituição, na qual o professor Eugenio Bucci, coerente que é, negou-se a corroborar a tese estapafúrdia segundo a qual diploma de jornalismo é essencial para o exercício da profissão. Gente que presenciou a palestra disse que tinha professor, sindicalista e aluno fazendo cara feia e burburinhando palavras de baixo calão na platéia.

Esperavam o quê? Um dos mais respeitados profissionais de imprensa do país, professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) e pesquisador visitante do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da Universidade de São Paulo (USP), Bucci nunca escondeu sua opinião sobre o tema.

No ano passado, em entrevista ao Portal Imprensa, afirmou o seguinte: "Embora a exigência (do diploma) seja uma excentricidade brasileira, já que outros países não a tem, ela ajudou a elevar os padrões da profissão no país. No entanto, nos tempos atuais, a manutenção do diploma deixou de ser prioritária para o atendimento das necessidades do cidadão relativas à informação".

Também em 2009, logo após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que derrubou a exigência do diploma, disparou: “A exigência do diploma não existe em vários países do mundo e nem por isso a imprensa nesses lugares é ruim. Os Estados Unidos são um exemplo. De lá, vêm algumas das lições básicas do exercício desse ofício, e não se exige diploma. A discussão salutar, porém, é a do modo como a profissão se enxerga e o modo como a sociedade a enxerga”.

Leia mais sobre Jornalismo e diploma AQUI

1 comentário:

Analuka disse...

Vim conhecer teus "escrevinhamentos", meu caro. Ótimo blog! Abraços alados.