Semana On

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Poesia

É quase maio
E meus dias se esparramam
Repletos de um gosto de sal
Semeados de pássaros

É quase maio
E o amor se entorta em mim
Como cavalo guernica
Rabisco traçado em tela

É quase maio
E tua boca de rosas
Exala silêncio

6 comentários:

Rafael Belo disse...

Vem aí o mês mais feminino de toda feminilidade... ah, fragância do silêncio. Belos versos meu caro. abs

Adriana Godoy disse...

maio bate à porta...a poesia também. bj

Vanessa Souza Moraes disse...

E o silêncio traz mil interpretações.

Barone disse...

Vanessa, Adriana, Belo, obrigado pela visita.

Patrícia Lara disse...

Olá, Barone!

Aqui conhecendo o seu espaço. Que belo achado em meio a essa imensidão de blogs. Parabéns pelo trabalho com as palavras.

Este poema é maravilhoso! E não acho isso pq sou de maio... rs
Está realmente lindo!

Sigo-te!

Abraços,
Patrícia Lara

Barone disse...

Olá Patricia, que bom que vc me encontrou. E obrigado pelo elogio ao poema. Vou visitar seu blog.