Semana On

segunda-feira, 29 de março de 2010

Poesia

Todos que ali viviam estão mortos
Mortos como os olhos do menino na esquina
Como a palavra não dita
O canto calado

Todos estão mortos em vidas ausentes
Como a menina sem voz, sem chama
Como pássaro sem céu
Engaiolado

Vagam aprisionados em corpos
Como se gente fossem
Mas não são

6 comentários:

Felipe da Costa Marques disse...

sensacional

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Hermético e belo... ;)

Renata de Aragão Lopes disse...

"Todos que ali viviam estão mortos
(...)
Como a palavra não dita"

Adorei!

Dan disse...

Belo poema!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Todos estão mortos em vidas ausentes" verso maravilhoso

Barone disse...

Obrigado, pessoal.