Semana On

quarta-feira, 25 de março de 2009

Mais do excomungador

Eu já havia tratado do tema, no dia 16, com o artigo “A solidão do excomungador”. No dia 20, Leonardo Cruz reforçou a corrente com o belíssimo artigo “Como assim, senhor Bispo?”. Em pauta: o caso da menina pernambucana engravidada pelo padrasto, com ênfase na assombrosa entrevista que o Bispo Dom José Cardoso Sobrinho concedeu à Veja, na edição de 18 de março. Vale a leitura.

7 comentários:

samuca santos disse...

victor:
é muito importante não deixar o assunto cair no esquecimento.
tô postando no bloguinho...

Daniel "Gárgula" Braga disse...

Barone,

Obrigado por não deixar a peteca cair! Seu trabalho sempre nos fazendo pensar!

Quando puder, leia no Mausoléu o artigo Um pensamento assustador.

Queria sua opinião!

Abraços!

Gui disse...

Barone,

Queria fazer um link com essa discussão. O que mais me impressiona nestes assunto que envolvem sexualidade e religião não é o desligamento de uma equipe médica da igreja católica, não é um bispo dizer que o "crime" de aborto do caso em questão ser mais grave que o estupro sofrido pela criança, mas um homem de imensurável influência moral como o papa Bento XVI declarar que o uso de preservativos não impedirá o avanço da AIDS no continente africano (http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1045999-5602,00-A+CAMINHO+DA+AFRICA+PAPA+DIZ+QUE+DISTRIBUIR+PRESERVATIVOS+NAO+CONTROLA+AIDS.html).

Sinto imensa vergonha de pessoas tão esclarecidas usarem o nome de Deus para fortalecer dogmas estúpidos e medievais.

Barone disse...

Samuca: não podemos nos calar diante dos absurdos que nos cercam.

Daniel: Valeu cara, vou ler o artigo.

Gui: sem dúvida, tratei deste assunto estes dias aqui no Escrevinhamentos.Um absurdo completo. Veja neste link http://escrevinhamentos.blogspot.com/2009/03/aids-bento-xvi-e-azevedo.html

Lelec disse...

Oi Barone,

Muito obrigado pela gentileza e pela honraria de citar meu texto.

Interessante é que apenas hoje fui ler seu texto do dia 16. Interessante porque descobri que tivemos a mesma percepção das palavras do Bispo. Isso é um sinal de que a indignação não foi de apenas uma pessoa. E vale lembrar: muito se pode fazer quando mais de uma pessoa sente indignação diante da mesma injustiça.

Grande abraço, e, mais uma vez, muito obrigado.

Lelec.

PS: No texto de hoje no Terceira Margem do Sena, continuo a debater o assunto, evocando um problema interessante.

Adriana disse...

Li o artigo de Leonardo Cruz e gostei muito de suas colocações, embora tenha percebido ainda um certo receio em criticar a igreja. Não sei se a palavra é receio ou um respeito em demasia a quem não merece. Esse bispo merece a fogueira, merece arder no fogo sem compaixão e com ele o papa irresponsável, chefe de uma igreja que se perde no mundo, totalmente obsoleta. Aliás, tenho pensado que o papel das religiões é travar o homem em sua humanidade. O vídeo no blog de L.C. sobre as crianças sendo doutrinadas é algo de uma crueldade sem tamanho, uma cena que choca, como as crianças palestinas na Faixa de Gaza.
Beijo.

Barone disse...

Sim Leonardo, interessanet como podemos unir e confrontar sonhos, indignações e opiniões por meio da internet. É uma ágora virtual cujo desenvolvimento aind anão vislumbrams. Vou ler seu artigo.

Adriana: "o papel das religiões é travar o homem em sua humanidade". Interessante o conceito.