Semana On

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Esquerda e Direita

Me sinto muito confortável com o pensamento de Mino Carta sobre esquerda e direita. Portanto, ao invés de elucubrar sobre o tema, repito aqui algumas de suas tiradas que mais me agradam a respeito do assunto.

“Há quem encha a boca, o papel, o ar, com palavras como esquerda e direita. Como dizia Raymundo Faoro, há países onde a dicotomia é menos abrupta, digamos assim, que no Brasil. Aqui ela se manifesta, e como. Mesmo assim, muitos se dizem de esquerda sem ser, por ignorância ou oportunismo. Também conviria definir com precisão o que direita significa. Há diferenças mais ou menos profundas entre um fascista e um conservador, entre um senhor de escravos (tem vários por aí), e um liberal reformista. Meu pai era um liberal (nada a ver com neoliberal) e foi preso pelos fascistas durante a guerra.”

“Não precisa ser de esquerda ou direita, basta ser crítico, democrático, consciente, ético. Quanto a mim, não hesito em me dizer de esquerda, sem que isso impeça meu apreço por pessoas que não concordam comigo.”

“O que Bobbio sustenta é a impossibilidade de se extinguir a eterna dicotomia: Deus e Diabo, luz e sombra, Bem e Mal, direita e esquerda. E enquanto houver desvalidos no mundo, haverá esquerda, ou seja, homens empenhados na busca da igualdade.”

“Fidel Castro liderou uma grande revolução popular, e por isso, foi de esquerda. E há muito de esquerda em vários dos seus comportamentos do seu governo. Mas a supressão de liberdades fundamentais é, na minha opinião, de direita.”

“Entendo que toda ditadura, mesmo com raízes à esquerda, acaba por tornar-se de direita.”

“Para mim, ser de esquerda implica um gênero de idealismo que, ao cabo, não se coaduna com totalitarismo e seus dogmas. O poder absoluto na prática é o mesmo do papa e das monarquias por direito divino, é o das sociedades leoninas, aquele de quem pretende encarnar a verdade definitiva e irrecorrível.”

“Ditaduras, mesmo nascidas à esquerda, descambam para a direita. É o que se dá quando liberdade e igualdade são aquelas impostas pelo ditador.”

“Igualdade tem como premissa a liberdade. Se falta esta, falta aquela. Para mim, ditaduras sempre acabam com perfil igual, ao menos na substância. Sim, está claro que o regime soviético proporcionou grandes avanços e sob o ditador Stálin foi um dos dois principais vencedores da Segunda Guerra Mundial. Também perpetrou monstruosas chacinas, perseguições de inaudita ferocidade, crimes hediondos. Stálin eliminou um a um seus inimigos internos e teve em Beria um verdugo implacável. Nada disso, no meu entendimento, é de esquerda.”

“Quando falo em igualdade, sonho idealmente com uma sociedade equilibrada, laica, republicana e democrática, justa na distribuição da riqueza e capaz de oferecer igualdade de oportunidade a todos. É quimera? É possível, é provável. Tal é, porém, um projeto ética e politicamente irrepreensível.”

“Sou de esquerda, está claro, mas coloco a ética na frente da ideologia. E prezo minha independência. Pois é, a ideologia: para muitos, substitui a religião. Veneram seus santos e aceitam seus dogmas. À direita e à esquerda.”

“Dizem que as ideologias estão no cemitério. É como se ninguém tivesse direito às suas idéias. Claro que certas ideologias, derrotadas na sua prática, morreram de morte morrida. Não faltarão outras, novas em folha.”

“Acho que antes da ideologia vem a ética. É dela que decorrem a busca da igualdade e o reconhecimento de que a liberdade por si só não basta, e exige as indispensáveis limitações da lei. É a ética que não nos permite viver em paz em um mundo e em uma sociedade desiguais. Não há consciência ética em quem aceita a miséria do semelhante como fato corriqueiro, normal, natural. Este, diria Norberto Bobbio, não é de esquerda.”

4 comentários:

Adriana disse...

Perfeito. São trechos pontuais que nos dão uma visão clara dessa dicotomia. Bj

Cristiane disse...

Que visão coerente, não?
Aproveitando esta passadinha aqui, pra desejar-lhe Feliz 2009!
E muita história pra contar...

Alice Salles disse...

"Não precisa ser de esquerda ou direita, basta ser crítico, democrático, consciente, ético."Fantástico. Não há melhor maneira de se por a verdade como essa.

Nanna disse...

Barone,
eh como te falo... coisa mais besta em pleno século em q nos encontramos tentarem dividir as pessoas, como se nós fôssemos divisíveis. Somo átomos, assim como nossos pensamentos. Podemos usar camiseta do "Che" e votar no Fernando Henrique, e daih? Deixemos a eterna luta do maniqueísmo para os blockbusters americanos. Essa lição o Will Smith sabe de cor hauahauah