Semana On

segunda-feira, 9 de junho de 2008

De volta...

Olá pessoal. Vou retomar meu blog. Espero que desta vez consiga manter o ritmo.
Alguns poemas recentes.

-

Estou de pé sobre asfalto quente
Sedento de um antes, de um passo a frente
Que me leve adiante, que me sustente
E me seque esta angústia

Estou aqui, a pé, descrente
Querendo uma brisa que me acalente
Que me leve adiante, como semente
E que me incendeie a alma

Aqui estou eu, aguardando um sol

VB

-

Suspirou como um gozo sofrido
e derramou-se em teu ventre
em palavras que voam.

Transbordou como mar que se cala
e libertou as amarras
em vento morno.

Semeou com mão sagrada
descortinando este céu
numa nesga de paz.

VB

-

Sou como terra devastada
Por onde caminhas com pés de seda
Por onde sopram os ventos secos
Que me roubam a lágrima

Sou como terra devastada
Onde se aninhas em busca de colo
Onde ecoam estes lamentos
Que me anoitecem a alma

És minha pétala em flor
A me elevar desta aridez
A expulsar de mim este deserto
A me despertar sabores esquecidos

És este lábio de fruta
A me recordar os sentidos

VB

1 comentário:

Maria-sem-vergonha disse...

"Estou de pé sobre asfalto quente
Sedento de um antes, de um passo a frente
Que me leve adiante, que me sustente
E me seque esta angústia"
Quando li pela primeira vez este poema, senti a força das palavras ecoar dentro do meu ser...tenho andado um pouco assim: com os pés descalços sobre o asfalto quente, (ah!)com essa sede de um antes...
bom demais, Victor, vê-lo voltando ao seu blog...um canto bom, acolhedor, para eu lavar a alma com a beleza da sua poesia.
Parabéns, poeta!